Crescem os casos de Covid-19 em crianças de até 9 anos em Bragança Paulista

0

Assim como em todo o país, entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022 foi registrado aumento no número de casos confirmados de Covid-19 em Bragança Paulista. Na faixa etária de 0 a 9 anos, o crescimento foi de 95,4%. A boa notícia é que de todos os casos confirmados em janeiro são leves, necessitando apenas de isolamento domiciliar.

A confirmação de casos em crianças entre 0 e 9 anos apresentou alta nos últimos 4 meses. Do total de testes positivos, 9% eram de crianças nessa faixa etária em outubro. Em novembro foram 8%, aumentando para 10% dos casos em dezembro. No mês de janeiro, de todos os testes positivos, 3% eram de crianças.

Apesar do número de testes positivos terem diminuído com relação ao total, na faixa etária de 0 a 9 anos quase dobrou número de casos confirmados entre dezembro e 18 de janeiro. Foram 22 casos em dezembro de 2021 e 43 até o dia 18 de janeiro (aumento de 95,4%).

Desde início da pandemia, em março de 2020, são 1.243 casos de crianças de 0 a 9 anos infectadas (confirmados). Em 18 de janeiro havia 3 casos suspeitos em análise.

A faixa etária entre 10 a 19 anos apresentou crescimento no total de positivados desde setembro, quando 14% do total eram crianças e adolescentes nessa faixa. Em outubro eram 11% do total; em novembro, 11%; em dezembro eram 10% e, em janeiro, 9%.

Nessa faixa de idade, houve um salto de casos confirmados, passando de 20 em dezembro de 2021 para 130 até o dia 18 de janeiro. Desde o início da pandemia, há 2.187 casos confirmados na faixa de 10 a 19 anos e um caso está em análise.

Houve crescimento também nos atendimentos de síndrome gripal. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, somente entre 1º e 18 de janeiro, dos cerca de 16 mil atendimentos nas UPAs Vila Davi e Bom Jesus relacionados a síndrome gripal e suspeita de Covid-19, cerca de 3 mil foram de crianças.

Entre as crianças, do total de casos confirmados em janeiro que estão em acompanhamento, entre 0 e 9 anos, todos estão em isolamento domiciliar. Na faixa de 10 a 19 anos, dos 130 confirmados, 125 estão sendo acompanhados, todos em isolamento domiciliar.

Há, no entanto, dois casos suspeitos em acompanhamento, que estão em UTI. Um na faixa de 0 a 9 anos e um com idade entre 10 e 19 anos.

VACINAÇÃO

A vacinação, em todas as faixas etárias elegíveis, é fundamental para o controle da pandemia. Os gráficos mostram que houve queda acentuada nas internações em enfermaria e em UTI a partir de junho de 2021, quando a população idosa – a mais afetada pelos casos graves – já estava com as duas doses da vacina ou dose única.

Em junho de 2021, havia 268 bragantinos internados em enfermaria por Covid-19. Até 18 de janeiro eram 13. Na UTI, eram 96 bragantinos internados em junho e em janeiro foram registrados quatro. Os óbitos também caíram, de 60 em junho para um até 18 de janeiro (houve mais uma confirmação no dia 20/01). Desde início da pandemia, não foi registrado nenhum óbito na faixa entre 0 e 19 anos.

A vacinação infantil, que começou na última segunda-feira (17/01), também é importante para evitar casos graves e óbitos na faixa de 5 a 11 anos.

CASOS LEVES

Mais de 90% dos casos no município são considerados leves, sem necessidade de hospitalização. São 26.762 casos leves, ou 92,47% do total. Outros 539 casos, ou 1,86%, foram considerados de leve a moderado, com hospitalização de até quatro dias. Há 723 casos moderados, com hospitalização superior a quatro dias, mas sem necessidade de UTI, o que representa 2,5% do total. Casos graves com hospitalização em UTI e/ou óbito representa 3,17% dos casos, com 918.

A faixa de 20 a 39 anos é a que mais apresentou casos confirmados: 11.988. Em segundo, com 9.729 confirmações, está a faixa de 40 a 59 anos. Os casos positivos em pessoas de 60 a 79 anos somam 3.372 desde início da pandemia e na faixa acima dos 80 anos foram confirmados 423 casos.

No dia 18 de janeiro, havia 1.404 casos leves em acompanhamento no município, nove casos de leve a moderado, oito moderados e cinco graves em acompanhamento. Do total de casos graves (918) desde o início da pandemia, 594 evoluíram para óbito.

Os relatórios de monitoramento dos casos são divulgados semanalmente pela Divisão de Vigilância Epidemiológica, ligada à Secretaria Municipal de Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here